13/02/2017 19:29

Carnaval de São Paulo apresenta 1ª corte LGBT

Disputa teve candidatos de 27 das 70 escolas de São Paulo

Por: Diário SP

Foto: Divulgação

Quando dizem que o Carnaval é um lugar para todos, não estão errados. E isso pôde ser visto na noite da última quinta-feira (9), quando, pela primeira vez, o Carnaval de São Paulo elegeu uma corte LGBT oficialmente reconhecida pela União das Escolas de Samba Paulista. A disputa teve candidatos de 27 das 70 escolas.

O posto de Rainha Transexual ficou com Camily, pertencente à Mocidade Unida da Mooca. A agremiação também contou com Adson Tretinni, que adentrou a corte como Passista de Ouro LGBT. Também foram premiadas a Rainha Transformista, Sthephanny Monphettiny, da Barroca Zona Sul, e a Rainha Drag Queen, Fabyany Carraro Brasil, pertencente à Império Real.

Em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo", Adson Tretinni, de 32 anos, que agora faz parte da corte como Passista de Ouro, falou da importância de ter um concurso como esse. "Eu me sinto muito orgulhoso que, em meio a tantas lutas, a gente conseguiu ter um espaço oficial", disse ele. 


Compartilhe: