11/01/2017 18:58

Bandido que tentou resgatar presos é detido

Jackson foi beneficiado com indulto em 2015 e não voltou mais para a cadeia

Por: Ana Paula Bimbati
anapb@diariosp.com.br

Foto: Divulgação/Deic

Foragido da polícia há pouco mais de um ano e meio, Jackson Cruz da Silva, de 33 anos, foi capturado por policiais do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) em  sua casa na região de Pirituba, Zona Norte de São Paulo.

JK, como é conhecido, foi o  responsável por planejar e ajudar na tentativa de fuga de dois bandidos, Alexandre dos Santos, o Seco, e Rogério Moreira Silva, o Baleado, este último condenado por matar um policial do Deic em 1997. 

A ideia de Jackson para tirar os dois bandidos da cadeia foi alugar um helicóptero  e forçar o piloto a pousar no Presídio Adriano Marrey, em Guarulhos, onde eles estavam.

Junto do comparsa João Morais de Oliveira, JK teria decolado de um edifício da Avenida Brigadeiro Faria Lima, Zona Oeste. Logo depois, renderam o piloto e o obrigaram a alterar a rota para a penitenciária.

No entanto, quando a aeronave pousou, houve troca de tiros com os guardas da unidade prisional. Na época, o piloto, Seco, JK e Oliveira  ficaram feridos.

Preso, Jackson foi condenado a 33 anos e cumpriu 12 deles em regime fechado. Quando passou para o semi-aberto, em julho de 2015, foi beneficiado com indulto de Dia dos Pais, em agosto do mesmo ano. Não voltou mais para a cadeia.

Na última segunda-feira (9), após denúncias de moradores de Pirituba, o bandido foi encontrado e capturado.

“Ele é autor de vários crimes naquela região de Pirituba e estaria na comunidade (segundo as denúncias) apavorando os moradores dali”, explicou o delegado Antônio José Pereira, titular da 1 Patrimônio (Delegacia de Investigações sobre Roubo e Latrocínio), do Deic, responsável pela investigação.  

Jackson andava com documentos falsos. Aos agentes da Polícia Civil apresentou uma carteira de habilitação com o nome de Tiago Rodrigues de Carvalho. Ele conduzia um Citröen C4, que, de acordo com o delegado,  havia sido furtado e estava com uma placa clonada.

Capturado, voltará a cumprir sua sentença em regime fechado. Também vai responder, agora, por receptação e falsificação de documento público e será investigado por outros crimes os quais a polícia não revelou. JK, conforme o Deic, é integrante do PCC.


Compartilhe: