09/01/2017 19:41

Cauã sobre Dois Irmãos: 'O trabalho da minha vida'

Ator interpretará gêmeos na minissérie global que estreia nesta segunda-feira

Por: Bárbara Saryne/Rio de Janeiro
barbara.vieira@diariosp.com.br

Foto: Divulgação

Ser convidado para trabalhar em minisséries da Globo já não é uma novidade para Cauã Reymond. Com 36 anos, o pai de Sofia acumula no currículo personagens marcantes no formato televisivo. A experiência, no entanto, não o deixa acomodado.

Nesta segunda-feira (9), após a novela das 21h, “A Lei do Amor”, o talento do ator e ex-marido de Grazi Massafera poderá ser visto em dose dupla na série “Dois Irmãos” - na trama, o artista é o protagonista e dá vida aos gêmeos Omar e Yaqub.

Se interpretar um personagem exige muita concentração e preparo, representar dois, de uma vez só, é para poucos. “Sinto que sou sortudo. Eu abracei esse projeto e tenho uma expectativa muito alta nele. Estou ansioso para sentir o retorno do público”, diz o ator.

Os quatro capítulos, apresentados até sexta-feira, vão contar a história de um clássico da literatura escrito por Milton Hatoum. Segundo Cauã, participar da adaptação para a TV é a realização de um sonho que aconteceu na hora certa. “Sou fã do livro. Quando o ganhei da minha mãe, antes de saber que ia se tornar uma série, eu estava engatinhando na carreira. Eu tinha acabado de fazer ‘Malhação’”, revela.

Novato na profissão, ao abrir o livro pela primeira vez, o ator sentiu que sua vida teria, em breve, alguma ligação com a história de Milton. “Eu tive a intuição de que eu podia fazer esses dois gêmeos. Foi um sonho e eu acho que chegou em um momento de maturidade para mim”, avalia.

A série gravada em 2015 vai abordar assuntos polêmicos, como incesto e ódio entre irmãos. Com três fases para marcar a passagem do tempo, Cauã compôs os personagens com a ajuda de Matheus Abreu, ator que interpretou os gêmeos na segunda fase. 

Já no início da série, enquanto os personagens ainda são jovens, Enrico Rocha e Lorenzo Rocha, ambos de 14 anos, foram os que “cuidaram” dos dois irmãos. “Ninguém chegou fazendo do seu jeito e pronto. Foram três meses de ensaio  para encontrarmos nossas  similaridades”, diz o ator.

O resultado pode abrir portas para ele fora do Brasil, mas Cauã é firme e diz que só vai se o trabalho for bom. “Se for para trabalhar com pessoas que eu não conheço ou fazer personagens que a princípio não sejam tão bacanas, como os que eu estou fazendo no Brasil,  não vejo sentido”, dispara o galã.

Feliz com o momento da carreira, o protagonista da série garante que esse é o trabalho da  sua vida. “As mulheres estão tomando conta da dramaturgia muito bem e os personagens fortes masculinos estão cada vez mais raros. Fazer irmãos gêmeos, desse porte, é um desses presentes que não chegam mais.”


Compartilhe: