03/01/2017 12:30

'Gari de sapatênis', Doria dá início a projeto

Tucano posou para câmeras e só simulou usar vassoura e pá de lixo

Por: Neto del Hoyo
antonio.neto@diariosp.com.br

Doria simula faxina nas ruas / Foto: Nico Nemer/DiárioSP

Conforme prometido, João Doria (PSDB) iniciou seu primeiro dia útil como prefeito de São Paulo logo cedo, antes do sol raiar. Às 5h49, o tucano desceu do carro vestido de gari e calçando sapatênis na Praça 14 Bis, na Avenida 9 de Julho, Centro da capital, onde foi cercado por seguranças e jornalistas no lançamento do programa de limpeza e zeladoria batizado de Cidade Linda.

Ali, aos sorrisos, selfies e piscadinhas de canto de olho, deu inúmeras entrevistas, vendeu a ideia do programa que estava inaugurando, mas só pegou mesmo na vassoura quando posou para as câmeras. Por cerca de uma hora, foi assim que Doria fez sua primeira faxina. “A primeira de muitas”, disse. O fato de não conseguir limpar, de fato, um pedaço de calçada que fosse, assim como previa, visivelmente o desagradou. 

A movimentação intensa de jornalistas, GCMs, garis, caminhões e máquinas assustou os muitos moradores de rua que se aglomeravam embaixo do viaduto e na Praça 14 Bis. Enquanto Doria sorria para as câmeras em sua ação midiática, alguns pegavam suas coisas e deixavam o local para dar espaço à limpeza.

Um deles, Carlos Roberto Domingues, 57, disse que “gente da Prefeitura” pediu para eles trocarem o local por outro por perto, pois precisavam fazer a limpeza na área. “Tivemos que sair por livre e espontânea pressão”, afirmou.

Aos jornalistas, Doria disse que, agora, não vai mexer com quem dorme nas sarjetas ou debaixo dos viadutos. “Um morador de rua merece respeito. Vamos tratá-los com todo o direito que eles têm.”

AMPARO

Depois de mais algumas críticas, Carlos Roberto conseguiu furar o bloqueio de jornalistas e militantes para falar com Doria. Abraçado, o Prefeito ouviu suas reclamações.

 Em seguida, o morador de rua voltou a falar e disse não ter esperança de que algo irá mudar.

“Não adianta chegar aqui vestido de gari, tem que trabalhar. Deixa a mídia de lado e bota a mão na massa. Fazer mídia eu também faço, estou falando com vocês (jornalistas) do mesmo jeito que ele (Doria)”, disse. “Eu não tenho expectativa nenhuma (de que algo vai mudar). Porque lá dentro (na Prefeitura) eles ainda estão roubando mais do que ratos.”

Quando entrou no carro para deixar o local, João Doria ainda retrucou um rapaz que questionava se o prefeito já tinha terminado seu serviço. “Não trabalhou nem uma hora e já está indo embora? Vida mansa, hein, prefeito!”.

A resposta veio de forma elegante e com um sorriso de assinatura: “Vou te convidar para conhecer o meu trabalho.”

 


Compartilhe: