31/03/2014 18:52

Lixeiros entram em greve na região do ABC

Categoria reivindica reajuste de 15,39%. Sindicato diz que os serviços essenciais serão mantidos


Moradores de Santo André passam por lixeiras abarrotadas / Alessandro Vale


Por: Maria do Carmo Caçador/ Especial para o BOM DIA

Desde a manhã desta segunda (31), funcionários terceirizados de varrição e coleta de lixo urbano do Grande ABC estão em greve. O sindicato reivindica reposição salarial e ganhos reais aos cerca de 2.500 funcionários que trabalham no ABC.  De acordo com o Siemaco-ABC (Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação, Limpeza, Urbana e Manutenção de Áreas Verdes Públicas e Privadas), a categoria quer reposição de 5,39% da inflação (de acordo com o IBGE) e mais 10% de ganhos reais.

O sindicato patronal mantém a proposta anterior de aumento de 10%. Em nota, o Selur (Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado de São Paulo) “lamenta não ter sido aceita a proposta para pôr fim à paralisação dos coletores de resíduos sólidos no ABC”. O sindicato patronal reafirma a necessidade de garantir atendimento à população e finaliza dizendo que “espera que o diálogo e o bom senso prevaleçam”. A paralisação não é total. Pelo menos metade do efetivo vai continuar trabalhando, por força de uma liminar obtida previamente pelo Selur. 

Quanto ganham/ Hoje, o piso salarial de um coletor de lixo é de R$ 1.013,84, somados os benefícios, no fim do mês, o salário chega a R$ 1.768,51. Já para os varredores e auxiliares de serviços gerais, o piso é de R$ 853,71; Com os benefícios, o salário chega a 1.472,78, de acordo o sindicato da categoria.

O presidente do sindicato afirma que, se a entidade patronal não oferecer novas propostas, vai incentivar outras formas de acordo. “A sugestão é realizar negociações separadas, empresa por empresa e, assim, conseguir melhores reajustes aos funcionários”. A greve não tem previsão para acabar.

São Bernardo/ Dos 7 municípios, apenas em São Bernardo a coleta de lixo vem sendo feita normalmente, porque a categoria organizou uma paralisação na semana passada. Mas, segundo Roberto Alves da Silva, durante a troca de turno, da SBC Valorização de resíduos, o sindicato realiza uma assembleia isolada para convencer os colegas a apoiar a paralisação que atinge o ABC. Rio Grande da Serra mantém os serviços normalmente porque a categoria pertence ao sindicato da região de Suzano.

MAIS
Santo André
O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) informa que, por causa da greve, a coleta dos serviços de saúde está paralisada, assim como as estações de coleta (ecopontos). O Semasa informa que segunda realizou varrição e coleta na região central, por meio de efetivo próprio. Em nota, a Semasa pede que a população não leve materiais para serem descartados nas estações no período de greve. 

Diadema
Em Diadema, a assessoria do município informa que, devido à greve, 150 lixeiros estão paralisados e a Secretaria de Serviços e Obras da Cidade montou equipe emergencial com 30 funcionários para recolher o lixo nas principais vias. 

Mauá
O serviço de varrição segue normal na cidade, apenas a coleta de resíduo domiciliar está suspensa. A coleta de resíduos infectantes é realizada normalmente.

Compartilhe: