10/03/2013 07:00

Mulher diz que diabo mandou espalhar crânios

Suspeita que teria deixado cabeças em vários endereços de SP foi detida furtando crânios em cemitério

Por: diário sp

Já dizia Raul Seixas, um dos maiores roqueiros do Brasil: “Enquanto Freud explica as coisas, o diabo fica dando os toques”. Foi dessa maneira que Leonarda Ferreira Paixão, de 42 anos, justificou furtar crânios de cemitérios e distribuí-los em vários endereços de São Paulo: “Foi o diabo quem mandou”, afirmou neste sábado na delegacia. Ela foi detida por guardas-civis no Cemitério da Vila Formosa, Zona Leste, furtando dois crânios.

Na noite de sexta-feira, a Polícia Civil havia divulgado imagens de uma mulher que colocou um crânio humano em frente ao Consulado da África do Sul, na Avenida Paulista. Segundo a delegada Vitória Lobo Guimarães, titular do 78 Distrito Policial (Jardins), que investiga o caso do consulado, Leonarda é a pessoa que aparece nas imagens das câmeras.

A delegada afirmou que trata-se de uma mulher com problemas mentais. Segundo a polícia, Leonarda prestou depoimento com informações completamente desconexas e aparentando forte transtorno mental. A suspeita dizia que a mando do demônio furtava caveiras de despachos de macumba. Antes, porém, era obrigada a comer os alimentos expostos nas oferendas.

A delegada Vitória disse que a investigação vai prosseguir para saber se Leonarda é responsável por distribuir crânios humanos por outros sete locais da capital paulista.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, Leonarda vai responder a inquérito por vilipêndio de cadáver, cuja pena varia de um a três anos de detenção, mais multa. Ela deve ser encaminhada para um hospital psiquiátrico. Ao sair da delegacia, na tarde deste sábado, escoltada por policiais, a mulher repudiou jornalistas com gestos feitos com a mão.

O primeiro crânio humano foi localizado numa jardineira, em frente a um prédio, na Avenida São Luís, Centro. No dia 21 de fevereiro, um crânio foi encontrado em frente ao Consulado da Rússia, na Avenida Lineu de Paula Machado, no Butantã. Em 23 e 24 de fevereiro, outros foram achados no Jabaquara (2) e no Butantã, em frente  a igrejas Mormon. Depois, os crânios foram localizados em frente ao Consulado da República Tcheca, no Morumbi, na Avenida Paulista  (dia 1 de março) e na Alameda Barros (3 de março).


Compartilhe: