07/11/2012 17:01

Violência leva morte e medo à Brasilândia

Pelo menos sete pessoas foram mortas na região. Filhos de ex-PM foram alvo de bandidos e um morreu

Por: Diário SP

A madrugada desta terça-feira e a noite de segunda-feira marcaram mais um capítulo na recente onda de violência que atinge São Paulo, com pelo menos oito pessoas mortas – sete delas na Vila Brasilândia, Zona Norte, onde uma policial feminina foi executada na noite do último sábado.

No Imirim, também na Zona Norte, dois filhos de um ex-PM da Rota foram baleados por volta das 22h30 desta última segunda. Tiago Augusto de Souza Ferrão, de 29 anos, morreu na hora. O irmão, de 27 anos, está hospitalizado em estado grave. Um amigo dos rapazes, de 27 anos, estava no banco de trás e viu tudo. Ele escapou ileso, mas estava em estado de choque.

O DIÁRIO apurou com familiares de Tiago Ferrão, que pediram para ter a identidade mantida sob sigilo, que o atirador foi reconhecido como um policial militar do bairro. A informação não foi confirmada pelo DHPP, responsável por investigar o caso.

A execução de Tiago foi gravada por câmeras de segurança. As imagens mostram  que o assassino desceu de um Fox branco.

Duas horas antes do assassinato, no Jardim Guarani, bairro vizinho à Brasilândia, um grupo de cerca de 50 bandidos mandou os passageiros de um ônibus descerem e saíram com o veículo. O coletivo bateu em uma casa e em um poste. O mecânico Raimundo Nascimento, de 64 anos, foi atropelado e morto. Outras três pessoas ficaram feridas. Por volta da 1h30 desta terça, três jovens, entre eles dois adolescentes, morreram baleados em frente a um bar no Jardim Carombé, na Zona Norte. Um quarto jovem ficou ferido. Também na Brasilândia, Luís Ricardo Romão, 25 anos, e Carlos Eduardo Oliveira Santos, de 20, foram assassinados. Outro rapaz morreu baleado no Bom Retiro, no Centro.

Insegurança altera o itinerário de linhas de ônibus
A violência na Brasilândia e região também afetou serviços como transporte e luz elétrica. O ônibus que os bandidos tentaram levar no Jardim Guarani bateu em um poste e deixou vários imóveis da região sem luz.

Segundo a Eletropaulo, a manutenção da rede, que seria realizada durante a madrugada desta terça, teve de ser adiada por segurança. De acordo com a concessionária, mais de 90% da região teve o serviço restabelecido até as 10h25 desta terça.

A violência também deixou moradores da região a pé na segunda-feira à noite e nesta terça pela manhã. A SPTrans (São Paulo Transporte) informa que nesta última segunda oito linhas de ônibus tiveram seus itinerários alterados por segurança e não chegaram ao destino final. Nesta terça pela manhã, duas dessas linhas mantinham essa modificação.

Além do ônibus que bateu no poste com um bandido ao volante, os criminosos incendiaram outro coletivo nesta última segunda à noite na Avenida Deputado Cantídio Sampaio, nas imediações da Vila Brasilândia, por volta do mesmo horário.


Compartilhe: