28/04/2013 21:11

Palmeiras encara maratona pela Libertadores


No domingo, os palmeirenses treinaram à tarde no campo de grama sintética / Nelson Coelho/ Diário SP


Diego Iwata Lima
diego.lima@diariosp.com.br

A derrota nos pênaltis para o Santos, no domingo, rapidamente teve de ser esquecida pelo elenco do Palmeiras. Afinal, na própria noite de sábado, o Verdão iniciou uma maratona de mais de 10 mil quilômetros, desde a Baixada Santista até a cidade de Tijuana, no México.


De ônibus, os jogadores do Palmeiras deixaram Santos rumo à capital. Aqueles que estão inscritos na Libertadores seguiram diretamente para a concentração do time, na região da Avenida Paulista. Os demais puderam ir para casa.

No domingo, os palmeirenses treinaram à tarde no campo de grama sintética do Clube Nacional, para onde foram já com a bagagem que seria despachada ao México. Do Nacional até Cumbica, foram 31 quilômetros.

Por lá, o time aguardou durante cerca de duas horas até o embarque para o México, às 23h30. O próximo destino dos alviverdes, 7,4 mil quilômetros e nove horas depois, foi a Cidade do México, capital do país.

A espera pela conexão que conduzirá o time à cidade de Tijuana, na fronteira com os Estados Unidos, será de três horas. O voo dura aproximadamente quatro horas. No total, entre aviões e conexões, a delegação do Palmeiras terá passado cerca de 16 horas em viagem.

longe/  O Tijuana é um dos times que os clubes brasileiros mais desejam evitar nesta edição da Libertadores. Os motivos são vários, a começar pela própria qualidade da equipe, que não é boba — venceu o Corinthians em casa, na primeira fase, por 1 a 0, por exemplo.

O gramado sintético do Estádio Caliente, que o Palmeiras vai conhecer hoje, assim que desembarcar no México, também está na lista das coisas a se evitar. Mas nada é pior do que a viagem. Tijuana é o destino mais distante do Brasil entre todos os times da Libertadores.




Compartilhe: