Diário de S. Paulo

10/01/2018 - 17:27

'Morri! No que vi já estava lá embaixo'

Mulher foi empurrada para os trilhos do Metrô na Linha 1-Azul e teve apenas ferimentos leves. Acusado permanecerá preso

Foto: /Fotos de reprodução

A mulher empurrada para os trilhos do Metrô disse que sentiu os vagões do trem passarem sobre seu corpo e não acredita como saiu viva. Jussara Araújo de Souza, de 23 anos foi empurrada por um homem na Estação Conceição da Linha 1-Azul, na terça-feira.

"Morri! No que vi já estava lá embaixo. Quando senti o baque fui olhar e senti os vagões passando por cima de mim", afirmou. "Caí com a cabeça na minha bolsa. Minha bolsa me salvou. É muito barulho, muita poeira, muito quente. Se não fosse Deus, eu não estava viva para contar a história."

Jussara ia da Estação Conceição à Marechal Deodoro, na região central. Ela trabalha como atendente em uma lanchonete. É casada e tem três filhos. "Só senti que estava viva quando vi meu marido uma hora depois", afirmou. A jovem levou 30 pontos na perna, tem hematomas na testa e nos braços. "Tudo dói."

Jussara relatou que, por sorte, caiu no vão entre os trilhos, e lá permaneceu durante a passagem do trem do Metrô. Quatro bombeiros a retiraram do local. As pessoas em volta estavam assustadas, segundo ela. "Até agora não acredito que passei por isso".

O suspeito, identificado como Sebastião José da Silva, 55, foi preso em flagrante. Segundo o boletim de ocorrência, ele teria dito que "ouviu vozes".

De acordo com a assessoria de imprensa do Metrô, o homem que empurrou a vítima sofre de problemas mentais e teria empurrado a primeira pessoa que viu na plataforma.

Em audiência de custódia, a Justiça converteu o flagrante em prisão preventiva.

O Metrô disse também ter plano de instalação de portas de proteção entre a plataforma e os trilhos, como, por exemplo, as da Linha 4-Amarela A data para a colocação será divulgada neste mês. /G1


Compartilhe: