Diário de S. Paulo

26/12/2017 - 16:32

Mais alunos em creches e menos nas escolas

Quedas nos Ensinos Fundamental e Médio foram de 1,7% e 2,9%, mas número na pré-escola aumentou

Foto: /Márcia Costa/Divulgação

De acordo com o Censo Escolar da Educação Básica, o número de matrículas no ensino fundamental (1º ao 9º ano) dos colégios públicos caiu em relação ao ano passado. Já nas creches e na pré-escola, subiu.

O número de alunos matriculados no ensino fundamental em 2017 caiu 1,7% em relação a 2016 - foi de 22.419.989 alunos para 22.056.515. No ensino médio, a queda foi de 2,9% - de 6.878.762 matrículas no ano passado para 6.682.515.

Apesar de haver essa redução no número de estudantes matriculados na última etapa da educação básica, o ensino integral cresceu no setor público. Em 2016, 5,95% dos alunos do ensino médio estudavam no período estendido. Neste ano, a taxa subiu para 7,49%. Esse é, inclusive, um dos objetivos do Ministério da Educação (MEC) na reforma do ensino médio.

Sobre as creches, o Censo mostra que o número de matrículas nas escolas públicas cresceu 6,4% entre 2016 e 2017 - foi de 2.068.682 para 2.209.782 alunos. Os colégios municipais continuam concentrando o maior número de matriculados nessa etapa, com 99,8%.

Na pré-escola, também houve aumento no número de matriculados - a elevação foi de 2,6%. Eram 3.772.990 crianças nas escolas públicas e, em 2017, o índice subiu para 3.872.765.

Todo ano, o total de matrículas precisa ser divulgado pelo governo por ser a base para o repasse de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e para a execução de programas na área da educação.

Já em relação à Educação de Jovens e Adultos (EJA), o número de matrículas na modalidade presencial aumentou 4% - foi de 2.811.939 de alunos em 2016 para 2.928.958 para 2017. /Portal G1

Solicitação para licença sem vencimentos está aberta

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo abre nesta quarta-feira, a partir das 10h, o cadastro para servidores interessados em solicitar afastamento da função e usufruir da licença sem vencimentos. O requerimento deve ser preenchido até o dia 16 de janeiro, às 23h, no portal do GDAE. Todas as 91 Diretorias de Ensino receberam comunicado com as regras e orientações.

Por lei, a autorização garante o afastamento do professor e demais funcionários da rede por até dois anos com permanência no cargo, porém sem vencimentos. As ausências podem se dar por motivos pessoais, como continuidade dos estudos no exterior ou dedicação a algum outro tipo de curso, por exemplo.

O requerimento, após registrado no portal da Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos da Secretaria, será acessado pelos superiores do servidor (diretor e dirigente regional de ensino) para anuência e confirmação.

Os resultados serão publicados no Diário Oficial do Estado a partir do dia 5 de janeiro. Em caso de dúvidas, os servidores devem procurar o gerente de organização da escola ou a Diretoria de Ensino.


Compartilhe: