Diário de S. Paulo

16/12/2017 - 19:58

Indígena é encontrada morta 

Adolescente estava sumida há quatro dias da aldeia

Por: Assinatura / cidade
@diariosp.com.br

Foto: / Reprodução

O corpo de uma estudante indígena de 17 anos foi encontrado na última terça-feira próximo a uma aldeia localizada na estrada João Lang, no Grajaú, na Zona Sul.

De acordo com relatos no boletim de ocorrência, Selma Jera Benite Vidal estava desaparecida da aldeia Tenondé-Porã havia quatro dias e foi vista pela última vez ao lado de um andarilho de 21 anos. 

A Polícia Militar foi acionada após a descoberta do corpo e a Civil investiga o paradeiro do homem, suspeito de envolvimento no crime.

Segundo o pai de Selma, uma amiga da filha disse que a menina e uns amigos iriam para o litoral, mas a viagem não aconteceu. As duas teriam se encontrado com o suspeito, e a amiga, fugido após perceber que ele era violento. O homem, de nome Marcos Silva, teria tentado abusar de Selma antes e sido rendido por outros indígenas. O relato do responsável foi feito à TV Record.

O caso foi registrado como homicídio no 101º Distrito Policial (Jardim das Imbuias), mas não há informações sobre a causa da morte. As investigações serão conduzidas pelo 25º DP (Parelheiros), que é responsável pela área.

revolta na aldeia/ Indígenas que tiveram conhecimento da morte e ouvidos pelo portal G1, sob a condição de anonimato, informaram que a garota vivia na aldeia do "povo Guarani", que ficou "abalado" com o crime e pede "justiça".

A reportagem não localizou familiares da jovem e não teve retorno das delegacias até o fechamento desta edição.


Compartilhe: