Diário de S. Paulo

06/12/2017 - 16:58

PMDB pode punir deputados infiéis

Partido se torna o primeiro a fechar questão quanto à reforma da Previdência

Por: Diário SP
[email protected]

Foto: /Divulgação/PMDB

A executiva nacional do PMDB ratificou a decisão da bancada do partido na Câmara em fechar questão em relação à votação da reforma da Previdência. Isso significa que o peemedebista que não seguir a orientação do partido e votar contra a proposta poderá receber punição.

Com a decisão, a legenda se tornou o primeiro partido a firmar posicionamento unitário pela aprovação do projeto considerado fundamental pelo Planalto para o equilíbrio das contas do governo.

O partido possui 60 deputados, contingente que pode ser determinante para a aprovação da proposta, que precisa de ao menos 308 votos favoráveis. "O PMDB espera que outros partidos possam seguir a mesma posição. É importante o PMDB puxar o cordão dos partidos que têm responsabilidade com o futuro", afirmou o presidente nacional da agremiação, senador Romero Jucá (RR), o líder do governo na Casa. "Passada a votação na Câmara, o Senado vota a reforma em fevereiro de 2018."

Em ocasiões anteriores, a cúpula do partido determinou que os "infiéis" seriam punidos com a suspensão temporária de suas funções partidárias. Isso implica no impedimento do deputado em participar de comissões na Câmara, e de exercer atividades na bancada do partido e nos diretórios da agremiação.


Compartilhe: