Diário de S. Paulo

26/12/2017 - 19:08

'Fala Sério, Mãe' mostra que mãe só muda de endereço

Malu e Ângela mostram que a relação mãe x filha é igual em qualquer parte do mundo. 'Tô aqui representando as mães do Brasil', diz Ângela

Por: Priscila Freitas
[email protected]

Foto: /

Mãe é mãe em qualquer lugar do mundo, não é mesmo? Algumas mais protetoras do que outras, mas sempre com um jeito comum de amar incondicionalmente o seu filho. Em "Fala Sério, Mãe", Ângela Cristina (Ingrid Guimarães) e Malu (Larissa Manoela) mostram que a relação mãe x filha vai do conflito à amizade.

"O filme é sobre amor em todas as etapas da vida. Sobre o que é criar um filho, desde quando ele está na barriga até crescer e sair de casa. Tentei fazer o mais verdadeiro possível como mãe, sabe?", diz Ingrid Guimarães.

Embora classificado como comédia, o longa narrado do ponto de vista das duas personagens, aborda as principais dificuldades da maternidade, os primeiros anos de vida de Malu, as amizades, as descobertas amorosas, os problemas familiares, as queixas e frustrações de Ângela, além da rebeldia e sentimento de opressão vividos por Malu.

"Sempre que vejo (o filme), eu choro. Sempre tento colocar um pouco de drama nos meus filmes e esse é bem dividido entre comédia e drama", conta a atriz.

E não pense que o filme foi feito apenas para os adolescentes, não. "É filme para ir com o seu marido, pois os homens se divertem também. Todas as idades gostam", afirma Ingrid. "É um filme para a família! E o ponto forte do filme é o da mãe, com essa vivência de parir uma filha e criar até os 19 anos e ainda vê-la sair de casa", complementa Pedro Vasconcelos, diretor do longa brasileiro.

Um fato curioso é a participação de Clara, de 8 anos, filha de Ingrid Guimarães. "Ela fez uma das coleguinhas de Malu, na festa do pijama", revela a atriz. "Essa é a primeira vez que minha filha vê um filme meu, afinal, os filmes que já fiz não são para ela (risos). Agora tenho a oportunidade de poder viver isso com ela."

O longa, inspirado no livro de mesmo nome da escritora Thalita Rebouças, contou com a participação especial do cantor Fábio Junior.

Confira o trailer: 

'Eu me senti respeitada, parte da família'

Thalita Rebouças_ escritora

Thalita Rebouças lançou o livro "Fala Sério, Mãe" em 2004 e, agora, a publicação virou filme. Mesmo com mais de uma década do lançamento, o tema abordado no livro continua atual e conquistou todos os públicos, não só os adolescentes.

DIÁRIO_ Como surgiu a ideia de transformar o livro em filme?

THALITA REBOUÇÃS_ Surgiu com o Pedro (Vasconcelos, diretor). Ele adaptou o "Tudo Por um Popstar", que é um livro meu anterior ao "Fala Sério, Mãe". E foi tudo muito rápido. Em um dia o Pedro disse: "Thalita, vamos fazer um filme?". Na semana seguinte: "O que você acha da Ingrid?". Depois: "Vamos jantar com a Ingrid?" E agora estamos aqui (risos).

Qual a importância desse filme para você?

É um filme que considero meu, mesmo. É um filme que me senti acolhida, abraçada, respeitada, me senti parte da família. Criamos cenas juntos e todos trabalharam para manter a alma do livro ali. E isso foi fundamental para eu estar tão feliz com esse filme.

Você se indentifica com a relação da Ângela e Malu?

Minha mãe não era tão mico quanto a Ângela Cristina. Minha avô também não (risos). Sempre digo que o livro é para quem é mãe, para quem é filha. Porque de todas as histórias que estão ali, pelo menos com uma você se identificará.

 


Compartilhe: