Diário de S. Paulo

13/11/2017 - 16:41

Chape aproveita falhas e derrota o Santos

Santos entra com três volantes, time vai muito mal e perde para a Chape, no Sul, com gols em falhas da defesa. Lucas Lima sai cedo e Peixe estaciona na tabela

Por: Ana Canhedo
[email protected]

Foto: /Ivan Storti/Santos

Ao contrário da promessa feita ao assumir o cargo de interino, Elano não jogou o Santos para a frente na noite desta segunda-feira (13), na Arena Condá. Pelo contrário. A escalação com três volantes deu errado e o Peixe perdeu para a Chapecoense, por 2 a 0, com gols de Wellington Paulista, de pênalti, e Arthur.

Em mais uma atuação decepcionante, o Peixe deixou escapar a chance de assumir o segundo lugar e permaneceu em quarto. A Chape é a 13ª.

Na quinta, o Peixe visitará o Bahia, em Salvador. O Verdão do Oeste receberá o Vitória.

MAS E O DNA?/ As escolhas de Elano não se justificaram nos primeiros 45 minutos de jogo. Com os três volantes, Alison, Renato e Matheus Jesus, o time deixou enormes buracos no meio-campo. Em uma das inúmeras bobeadas, Luiz Antônio lançou linda bola para Arthur e Lucas Veríssimo tocou com a mão na redonda. Na cobrança de pênalti, o vaivém de Wellington Paulista confundiu Vanderlei. Bola para um lado, goleiro para o outro e gol da Chape.

Na esquerda, Arthur Gomes tentou, mas errou o quanto pôde. Improvisado nessa ala, Ferraz perdeu a melhor chance do Peixe, por ser destro. Em vez de chutar com a esquerda, cortou para o pé bom e viu a zaga afastar o perigo.

Pela direita, o Santos não chegou. Em nova péssima partida, Lucas Lima não marcou, não armou e não correu.

Os "atacantes" Renato e Ferraz não deram conta do recado ao chegar à frente. Prova de uma completa desordem tática no primeiro tempo.

A insatisfação de Elano era tamanha no começo da etapa complementar que Lucas Lima foi sacado de campo com apenas sete minutos.

A ausência do camisa 10 fez pouca diferença. Jean Mota não supriu a falta de criatividade no meio. Embora mais tempo com a bola, o segundo tempo só serviu para o Santos sofrer o segundo gol.

Em péssima noite, Veríssimo deixou Arthur passar e, de costas, nada fez para impedir o toquinho com pé direito de Arthur para ampliar o placar. Wellington Paulista cruzou.

Uma bola na trave de Ricardo Oliveira foi o melhor que o Santos pôde apresentar.


Compartilhe: