Diário de S. Paulo

13/11/2017 - 17:07

Tremor deixa mais de 450 mortos no Oriente Médio

Terremoto na fronteira entre Irã e Iraque já é o maior registrado no ano. Milhares de pessoas estão feridas e desabrigadas. Sismo foi sentido até em Bagdá

Foto: /

Um forte tremor na fronteira entre Iraque e Irã ocorrido no domingo deixou mais de 450 mortos até esta segunda-feira (13) no Oriente Médio. Segundo informações da agência Associated Press, mais de 8 mil pessoas ficaram feridas.

O epicentro do terremoto foi registrado a 22 quilômetros de Derbendixan, no Iraque, com magnitude de 7,3 graus e dezenas de réplicas. A maior parte das vítimas fatais se encontra no Irã, em Sarpol e-Zahab. O tremor foi sentido em várias regiões do país, sendo que a mais atingida foi a província de Kermanshah. O presidente do Irã, Hassan Rohani, pediu a colaboração de órgãos oficiais para prestar assistência aos milhares de feridos e desabrigados.

No Iraque, uma das grandes preocupações foi com o rompimento da barragem de Darbandijan, em Sulaimaniyah. O diretor da estrutura disse que há muitos danos ao topo do local. A represa contém 1,5 bilhão de metros cúbicos de água e atua com 55% de sua capacidade. O sismo também foi sentido na capital Bagdá.

O terremoto já é o maior em proporções de mortes e feridos este ano, superando o ocorrido no México em setembro.

O fornecimento de energia elétrica e água foi interrompido em algumas cidades nos dois países e autoridades iraquianas pediram a moradores da região de Darbandajan que dormissem fora de suas residências. Na província iraniana de Ilam ocorreu o mesmo e muitos moradores deixaram a região por precaução.

Até mesmo no sudeste da Turquia o tremor foi sentido, perto da fronteira Irã/Iraque.

No Twitter, o presidente Michel Temer prestou solidariedade às vítimas do tremor . O Papa Francisco também lamentou o acontecido e se mostrou "profundamente entristecido" com a tragédia.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterrez, foi outra autoridade a prestar solidariedade e disse que a entidade está pronta para auxiliar caso seja solicitada.

O Irã está localizado em uma região com falhas geológicas, o que possibilita uma intensa atividade sísmica no país. Os terremotos mais graves em solo iraniano ocorreram em 2003 e 1990, quando cerca de 30 mil pessoas morreram em cada um desses eventos.


Compartilhe: