Diário de S. Paulo

08/11/2017 - 15:11

'O Quebra Nozes' estreia no Theatro Municipal de São Paulo

Por: As Flávias
[email protected]

Foto: Revan Livi

Aconteceu, na última quarta-feira (8), no Theatro Municipal de São Paulo, a primeira apresentação do Ballet que conta uma história em que a fantasia e magia, típicas do romantismo, contam as aventuras de um quebra-nozes de aparência humana, vestido como um soldado, mas que tem as pernas e a cabeça de tamanho desmensurado.

Dirigido e coordenado pela bailarina Priscilla Yokoi, que recentemente assumiu a direção da Escola de Dança de São Paulo (Ex-Escola de Bailados), fala sobre o espetáculo que estará nos palcos do Theatro dos dias 08 a 12 de novembro com mais de 1000 alunos após 45 anos. “Tive essa ideia para resgatar a oportunidade dos bailarinos da Escola de Dança de SP poderem dançar novamente no Theatro Municipal de SP, uma das principais “casas” da América Latina. Essa experiência para cada aluno tem sido muito especial, principalmente em poder representar um personagem. Acredito que o ‘Quebra Nozes’ seja um ballet excelente para a Escola nesse momento e para que possamos incluir diversas disciplinas em um só espetáculo, contando uma história e interagindo com todos os participantes”, explica ela, nomeada diretora da Escola pelo atual secretário de cultura André Sturm em setembro/2017.

Priscilla Yokoi desde a fundação da Escola é a mais jovem no cargo e ressalta a importância do Projeto:

“A Fundação Theatro Municipal de São Paulo está comigo e tem dado todo o apoio para que esse espetáculo aconteça, assim como a Jhaira e a Renata, diretoras executivas e de gestão, pois estão trabalhando incansavelmente para o funcionamento dos Projetos da fundação, estou muito orgulhosa em trabalhar em um lugar como esse”, ressalta ela que complementa: “Só tenho a agradecer a Deus por me dar saúde para conseguir trabalhar e poder fazer história na Escola que tanto tenho apreço e admiração. Estudei por algum tempo quando era criança, e admiro tudo que foi feito, pois a Escola se manteve firme por 78 anos”.

Junto com André Sturm, a bailarina fala: “Ele tem muita sensibilidade artística, um currículo vasto e desenrola com muita facilidade todos os desafios que tem enfrentado”, explica.

Para que todo o Projeto acontecesse vieram os apoios que tiveram um papel fundamental. “As empresas parceiras, desde o primeiro momento lutaram comigo, e quando todos eles ficaram sabendo que eu assumi a Escola se disponibilizaram em contribuir com o que tinham de melhor. Foi muito emocionante, ver as Escolas de Dança, empresas de artigos de dança, figurinistas e amantes dessa arte abraçando o Projeto”, fala Priscilla emocionada.

Em todos os dias de apresentação o palco estará repleto de magia e sonhos expressados através da emoção dos mais de 1000 alunos de terem a oportunidade após tantos anos de dançar no Teatro Municipal de São Paulo. “Vocês vão assistir os alunos apaixonados pelo o fazem, será um resultado de muito trabalho e empenho não somente deles, mas dos pais, professores, coordenação, direção e apoiadores".

Para fechar o ano Priscilla organiza o processo seletivo e programação de metodologia para 2018 da Escola de Dança e assume em definitivo a marca americana de 135 anos, Danskin no Brasil levando para todo o público de dança o melhor em artigos para ballet. “São sonhos que estou realizando, e só posso agradecer”, finaliza a bailarina.


Compartilhe:

SOBRE As Flávias

Flavia Goldstein iniciou os estudos com a Dança Clássica, mas também se envolveu com Jazz, Danças étnicas e Dança Moderna. Em 1979 foi morar em Nova York, onde estudou com vários professores consagrados,(HORTON) Anne Marie Forsythe,(MARTHA GRAHAN), Patrick K.Thomas,(JAZZ LUIGI) Luigi ,(JAZZ BROODWAY), Frank Hacheeck e Jojo Smith. Flávia Viana é jornalista e tem a dança como uma de suas grandes paixões de vida. Deu os seus primeiros passos no ballet aos oito anos de idade. Agora resolveu misturar a arte de escrever com o ballet. É empresária de comunicação e hoje desliza na ponta dos pés para alimentar um sentimento que só quem ama a dança sabe explicar.