Diário de S. Paulo

13/11/2017 - 15:52

Manobra

Há mobilização na surdina, no PMDB e no PSDB, patrocinada pelo presidente Michel Temer e pelo senador Aécio Neves, para jogar à luz o debate nacional sobre a adoção do sistema Parlamentarista no Brasil. É jogo de Poder. Enquadrados por denúncias e em baixa popular, têm ciência de que uma eleição presidencial para ambos já era. Mas são otimistas em alcançar o comando do país em um novo sistema político. Aécio e Temer são mestres em articulação congressual. Eventualmente eleitos deputados, futuramente - o caminho mais fácil - teriam chance de um protagonismo nacional.

Mensagens

Não se assuste o leitor. Isso explica por que a bandeira do PSDB é o Parlamentarismo, e por que Temer tem repetido que não o vê o sistema como 'despropósito'.

Termômetro

Como divulgou a Coluna, o PSDB já fez um teste no partido. Em pesquisa interna, descobriu que a grande maioria dos filiados tem simpatia pelo Parlamentarismo.

Pretexto

Quando presidente, Fernando Collor levantou o debate e foi encurralado. Mas hoje, com toda a classe política em baixa, os partidos querem investir. Até elle pode voltar.

Mãos ao alto!

Os bancos já estão cobrando por boletos registrados - aqueles boletos que o comércio emite para o cidadão pagar. Antes o serviço era gratuito, e sem qualquer prejuízo para as instituições. Agora, prevê-se que os maiores bancos do País - privados e estatais - vão faturar juntos até R$ 72 bilhões líquidos (!!) por ano. E quem decidiu pela cobrança? Por conta própria, sem regulação ou questionamentos, a canetada veio do comando da Federação Brasileira dos Bancos, a Febraban. As promotorias de Defesa do Consumidor do Ministério Público continuam em silêncio. A mordida no bolso do comércio pode encarecer produtos.

Raposão na pista

Os cálculos dos ganhos dos bancos são do Conselho Federal de Administração, que luta sozinho na praça contra o abuso. O CFA tem cobrado posição do Banco Central e da Fazenda, e faz campanhas País adentro com o boneco Raposão - 'figura' do banqueiro.

Partidão

Além de esperar decisão de Luciano Huck de se filiar ou não, o PPS passou a convenção para 25 de março por ser aniversário do PCB, o partidão 'pai' da lengeda.

Da telinha

A TV Globo tem experiência no ramo. A família Sirotsky, da RBS, sócia da 'Vênus' no RS, ajudou a eleger senadores dois ex-apresentadores: Ana Amélia e Lasier Martins.

Não colou

O casal Estevam Hernandes e Sonia Hernandes, 'bispos' da Igreja Renascer em Cristo, tentou paralisar a ação no STF que os investiga por evasão de divisas. Alegam que já foram condenados nos EUA. Pedido foi negado pelo relator ministro Edson Fachin.

Yes..

Uma pequena memória dos últimos capítulos em Brasília, da coalizão de Michel Temer: Aécio Neves (PSDB) emplacou Alexandre de Morais, advogado do partido, como ministro da Justiça (MJ) e depois ministro no Supremo Tribunal Federal.

.. somos bananas!

Depois, o senador tucano abençoou Torquato Jardim no MJ, para enterrar a Polícia Federal na Lava Jato em Curitiba - o que foi feito. Agora, José Sarney e parte do PMDB emplacam o diretor-geral e o vice da PF. O que esperar mais?

Bronca

"Passou de todos os limites". Foi a frase proferida pelo ex-presidente FHC a amigos sobre a manobra de Aécio contra Jereissati.


Compartilhe:

SOBRE Leandro Mazzini

Começou no jornalismo em 1996. Passou por Jornal do Brasil, Correio do Brasil, Gazeta Mercantil, Agência Rio de Notícias entre outros. Assinou o Informe JB de 2007 a 2011. Foi colunista do JB e da Gazeta.