Diário de S. Paulo

08/10/2017 - 16:21

Verdão sofre com a pouca eficácia dos atacantes

Palmeiras ainda não encontrou um jogador para ser o goleador do time. Porém, tem o segundo melhor ataque do Brasileiro

Por: Arthur Stabile
[email protected]

Foto: /Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Ter o segundo melhor ataque do Campeonato Brasileiro deixaria qualquer torcida satisfeita com seu time, certo? Não é exatamente o que acontece com o Palmeiras. Críticas são parte da rotina dos centroavantes.

Campeão na temporada passada, o Verdão fez 36 gols no nacional deste ano. É o mesmo desempenho do líder Corinthians e cinco tentos a menos do que o Grêmio, o time mais matador. O problema está nos números dos homens-gol (confira ao lado).

Willian e Guerra são os artilheiros, com apenas cinco tentos cada. Treze jogadores diferentes balançaram as redes adversárias ao menos uma vez até agora e dois gols, contra Botafogo e Grêmio, foram de oponentes em favor do Palmeiras.

Róger Guedes e Keno aparecem na segunda posição da artilharia alviverde, com quatro gols marcados. Somente então aparecem os jogadores contratados para ocupar o topo desta lista: Deyverson e Borja, ambos com três.

Juntos, os dois somam seis gols, um a menos do que Willian, contratado para atuar pela ponta direita, mas deslocado como referência pelo rendimento abaixo da dupla: Borja converte em gols 10% dos seus chutes, enquanto Deyverson, 15%.

Cobranças/ O colombiano é cornetado pelo rendimento abaixo do esperado. Os R$ 33 milhões investidos em sua contratação fizeram com que os palmeirenses o considerassem o cara ideal para substituir Gabriel Jesus, referência do melhor ataque do Brasil e campeão nacional em 2016. Não conseguiu até agora.

Deyverson veio no meio da temporada como contratação exaltada por retirar da Europa um brasileiro em ascensão. Ganhou a posição e é alvo de críticas por não ter cobrado pênalti contra o Barcelona, do Equador, e pelo faro de gol pouco apurado.

"A gente cobra muito em cima de erro, de performance, mas temos o segundo melhor ataque da competição. Às vezes, a gente não sabe ou esquece disso", disse o técnico Cuca. "Está tendo a discussão de quem é mais útil para o jogo, e estamos trabalhando para definir", seguiu o treinador, que sugere Willian titular contra o Bahia, dia 12. 


Compartilhe: