Diário de S. Paulo

07/09/2017 - 16:54

Alckmin e Doria assistem a desfile juntos no Anhembi

Em meio à guerra fria com o governador sobre 2018, prefeito elogiou 'padrinho'

Foto: /Alexandre Carvalho/A2img

Em meio às especulações de que vai deixar o PSDB para concorrer à Presidência da República no ano que vem, o prefeito João Doria ficou ao lado do governador do estado e seu padrinho político, Geraldo Alckmin, durante o desfile de 7 de Setembro, no Sambódromo do Anhembi, na Zona Norte.

As ausências de Doria durante o primeiro sorteio de imóveis populares da parceria público-privada, na terça-feira, e também na inauguração de três estações da Linha 5-Lilás do Metrô, na quarta, foram entendidas, dentro do ninho tucano, como mais um movimento do prefeito de afastamento do governador.

Especula-se nos bastidores que Doria quer disputar ao pleito de 2018, o que vai de encontro aos planos de Alckmin que quer ser o nome do PSDB na disputa ao cargo.

No evento, ambos trocaram poucas palavras. Já na entrevista coletiva após a solenidade, Doria elogiou Alckmin. "Quero deixar aqui, mais uma vez claro a todos os jornalistas, o meu respeito, o meu sentimento, ao Geraldo Alckmin como cidadão, como pai, como brasileiro, como gestor, como homem público e como integrante do meu partido, o PSDB", afirmou.

Sobre 2018, disparou: "É especulação. Eu estou no PSDB, sou PSDB, não tenho nenhuma intenção de mudar de partido".

Já Alckmin economizou nas palavras ao responder sobre a "guerra fria" com o afilhado político: "Tudo tem seu tempo".

A candidatura de Doria à Prefeitura foi bancada por Alckmin dentro da legenda. Em seu primeiro discurso após ser eleito, em 2016, o empresário disse que apoiaria o governador nas prévias do partido. Mas nos últimos tempos tem viajado ao Nordeste, o que no entender do deputado estadual Campos Machado, presidente do PTB, partido da base do governo estadual, é uma traição. "Não há comentário. Campos Machado não é do PSDB. Ele deve cuidar do seu partido, do PTB. Do PSDB cuidamos nós."


Compartilhe: