Diário de S. Paulo

11/09/2017 - 17:14

Ensino das religiões

Em meio à análise no Supremo Tribunal Federal de ação que discute a validade do ensino religioso nas escolas do país - votação atual em 3 a 2, com 'ensino amplo' em vantagem - uma sondagem nacional da Paraná Pesquisas a pedido da Coluna revela que a grande maioria dos brasileiros é a favor da implantação da 'história das religiões' na grade curricular do ensino básico, como propõe ação da Procuradoria Geral da República em votação na Corte. Na pesquisa, 63,3% dos entrevistados aprovam o tema, enquanto 30,2% são contra - e 6,5% não opinaram ou não souberam responder. Em todas as cinco faixas etárias e nos níveis escolares sondados, o índice de aprovação entre os pesquisados foi praticamente o dobro dos que reprovam o assunto. A Paraná Pesquisas sondou 2.714 brasileiros das cinco regiões, em questionário on-line com cadastro, de 6 e 10 de setembro. Foram ouvidos 1.303 homens e 1.411 mulheres.

Por gênero

Entre os homens, 61,2% aprovam, contra 31,8% - e 7% não sabem/não responderam. Os índices no público feminino ficaram 65,2%, 28,7% e 6,2%, respectivamente.

Garotada atenta

Na faixa etária de 16 a 24, 61,3% aprovam, e 32,5% desaprovam o ensino na grade. Os índices são crescentes, a favor do tema, nos entrevistados de 25 a mais de 60 anos.

A ação

A ação no STF (retorna à pauta dia 20) foi apresentada pela subprocuradora Débora Duprat: ela propõe que o conteúdo seja abrangente, e não específico a uma religião.

A lei

O ensino religioso está previsto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e no Decreto 7.107/10, assinado entre o Brasil e o Vaticano para o ensino do tema.

Favorita da Dilma

Advogada do grupo JBS citada algumas vezes no áudio de Joesley Batista e Ricardo Saud, presos pela Polícia Federal, Fernanda Lara Tórtima é suplente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, escolhida pela ex-presidente Dilma Rousseff. Ela é mestre em direito penal pela Universitat Frankfurt am Main.

Currículos

O pai de Fernanda, José Carlos Tórtima, é um dos advogados de Jacob Barata Filho, o reizinho dos ônibus na mira da PF. Ele trabalhou por 11 anos com Wilson Lopes Santos, um dos defensores do saudoso Castor de Andrade.

Tão longe, tão perto

A Funai quer acabar com o garimpo ilegal na Amazônia e tem recebido denúncias de violência de garimpeiros contra índios do Vale do Javari. A Fundação afirmou em nota que tem "empenhado todos os esforços" para apoiar o MP e a PF nas investigações.

Saiu caro

A mostra patrocinada pelo Santander em Porto Alegre - encerrada 1 mês antes do previsto - trará más consequências ao banco. O vereador de Porto Alegre Wambert Di Lorenzo (Pros) e o advogado católico Paulo Fernando Melo, de Brasília, vão entrar com uma ação conjunta por danos morais contra a instituição. A mostra de cunho LGBT Queermuseu mexeu com a Igreja e com os padrões familiares tradicionais. Numa das imagens, aparece Cristo crucificado com vários braços e objetos nas mãos. Em outras, aparecem desenhos de menores com os títulos 'Criança Viada'. Em nota, o banco se desculpa: "Entendemos que algumas das obras da exposição Queermuseu desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas, o que não está em linha com a nossa visão de mundo".


Compartilhe:

SOBRE Leandro Mazzini

Começou no jornalismo em 1996. Passou por Jornal do Brasil, Correio do Brasil, Gazeta Mercantil, Agência Rio de Notícias entre outros. Assinou o Informe JB de 2007 a 2011. Foi colunista do JB e da Gazeta.