Diário de S. Paulo

31/08/2017 - 18:34

Crise e impunidade

Por: Álvaro Camilo, ex-chefe da PM

O aumento no número de latrocínios tem como uma das causas a crise sem precedentes no país, que reflete na sociedade. Além disso, a impunidade vigente pode dar a entender ao criminoso que o crime compensa.

O Brasil tem 14 milhões de desempregados e em São Paulo (capital e região metropolitana) temos 2 milhões. No quesito impunidade, cito o fato de, em São Paulo, nas audiências de custódia, metade do que a PM prende em flagrante volta às ruas.

Na Cracolândia, por exemplo, um traficante é preso na segunda-feira e, na quinta, já pode estar de volta às ruas. Existem também as saídas temporárias. Há cerca de dois anos saíam em torno de 18 mil presos nas datas comemorativas. No último dia dos pais saíram 30 mil. E 10% não voltam.

A Polícia Militar, apesar de estar há três anos com salários sem aumento, desvalorizada pelo governo, ainda tem a maior taxa de prisão, abordagens e retirada de armas das ruas do país.

Pena que no ranking de reconhecimento salarial estejamos nos últimos lugares da estatística. Sinal de que apesar do excelente trabalho, os agentes não são reconhecidos pelo governo. 


Compartilhe: