Diário de S. Paulo

28/08/2017 - 17:10

Escritora denuncia estupro por motorista

Vítima denunciou crime via rede social e condutor foi banido do aplicativo. Mulheres iniciaram campanha na internet contra abuso

Por: SEM ASSINATURA
@diariosp.com.br

Foto: /Reprodução

A escritora Clara Averbuck, 38, denunciou ontem, por meio de sua rede social, ter sido vítima de estupro e agressões por um motorista do aplicativo Uber.

"O nojento do motorista do Uber aproveitou meu estado, minha saia, minha calcinha pequena e enfiou um dedo imundo em mim, ainda pagando de que estava ajudando 'a bêbada'. Estou machucada mas estou em casa e medicada pra me acalmar", postou.

À "Revista Claudia", a vítima escreveu um relato de que estava numa festa e que o amigo solicitou o aplicativo para que ela fosse para a casa.

Na postagem, Clara relata que está com o olho roxo e que ainda estava decidindo se iria ou não a uma Delegacia da Mulher por medo de "me submeter à violência de Estado, justamente por ter levado tantas mulheres na delegacia é que eu sei o que me espera".

Ela e mais um coletivo de mulheres iniciaram a campanha "MeuMotoristaAbusador e #MeuMotoristaAssediador a fim de dar visibilidade aos casos.

Em nota, a Uber disse que "repudia qualquer tipo de violência contra mulheres". A empresa informou que o motorista foi banido e que está "à disposição das autoridades".


Compartilhe: