Diário de S. Paulo

25/08/2017 - 17:56

Homem que matou ex e irmão dela a facadas se entrega

Matheus Fernandes da Silva, de 22 anos, apresentou-se à polícia na quinta-feira e, em depoimento, alegou legítima defesa: 'Chifre trocado não dói', disse

Por: Ana Paula Bimbati
[email protected]

Foto: Fotos de reprodução

Matheus Fernandes da Silva, de 22 anos, foi preso quinta-feira no Guarujá, Litoral Sul de São Paulo. Ele é acusado de matar a ex-namorada e o cunhado a facadas dentro da casa dos irmãos, no último domingo.

Em depoimento à polícia, Matheus disse ter agido em legítima defesa. Os corpos de Nathália Aparecida dos Santos Silva, 20, e de Matheus Santos Silva, 12, foram encontrados ensanguentados pelos próprios pais.

Segundo a versão de Matheus, a ex-namorada teria pegado uma faca durante uma discussão do casal. "Ele diz que não se lembra da sequência dos fatos, mas afirma que agiu por legítima defesa", disse o delegado titular do 1º DP de Guarujá, Estevam Gabriel Urso.

Durante a discussão, o irmão de Nathália apareceu, de acordo com a versão de Matheus, que afirmou ter tentado se defender do adolescente.

Após o crime, o jovem percebeu que os pais das vítimas estavam chegando e conseguiu fugir, porém, deixou para trás uma mochila, que estava com a faca ensaguentada.

Segundo o delegado, o próximo passo é saber quantas perfurações as vítimas receberam. "Se ele queria se defender na situação, não precisava haver excesso. Sabemos que foram muitas facadas, mas só o laudo irá nos confirmar quantas foram", explicou o delegado Urso.

Matheus ficará detido ao menos pelos próximos 30 dias, já que a Justiça aceitou o pedido de prisão temporária. Depois deste período, o titular do 1 º DP afirmou que irá entrar com pedido da preventiva (sem data para deixar a cadeia).

CIÚMES/ O ex-namorado de Nathália também disse durante seu depoimento que estava com a jovem há cerca de um ano, porém o relacionamento era de "idas e vindas".

Matheus afirmou que a ex-namorada era ciumenta e agressiva. Alegou que "chifre trocado não dói". O DIÁRIO tentou contato com a defesa dele, mas não teve retorno.


Compartilhe: