Diário de S. Paulo

17/08/2017 - 18:29

SPTrans suspende mudança em linha de Itaquera

Após insatisfação de passageiros na alteração de itinerário de ônibus em Itaquera, na Zona Leste, e protestos de entidades da região, publicadas no DIÁRIO, gestão da Prefeitura vai reavaliar a medida, que começaria a valer a partir de sábado

Por: Ana Paula Bimbati
[email protected]

Foto: Divulgação

A SPTrans, empresa municipal responsável por administrar o transporte público, decidiu nesta quinta-feira (17) rever a alteração da linha 253F-10 (Terminal A.E Carvalho/Terminal São Mateus), que teria um novo itinerário a partir deste sábado (19).

A suspensão da medida aconteceu após o DIÁRIO publicar reportagem sobre a reclamação dos passageiros do Jardim Helian e da Gleba Pêssego, na região de Itaquera, Zona Leste, que não receberiam mais o serviço do coletivo. Conforme os moradores, a alteração no trajeto da linha obrigaria grande parte dos usuários a tomar mais de um ônibus para chegar ao ponto final.

Além disso, a Associação do Jardim Helian e outras duas entidades da região organizaram um ato, na quinta-feira, em frente ao prédio da Secretaria Municipal de Transportes, na região central, para pressionar a Prefeitura. "Conseguimos uma reunião com representantes da SPTrans e saímos com a suspensão da alteração", comemorou Sérgio Lima, um dos líderes da associação.

Se a medida começasse a valer, 15 ruas do Jardim Helian e da Gleba Pêssego não receberiam mais o serviço do coletivo. Os dois bairros têm cerca de 20 mil moradores.

Além de passar por menos vias, o ponto final do 253F-10 seria transferido para a Estação Dom Bosco, na Linha 11-Coral da CPTM. A justificativa da gestão João Doria (PSDB) era que a mudança visava otimizar o transporte público na região e fazia parte de um processo de readequação.

No entanto, por meio de nota, a SPTrans afirmou ter revisto a medida. "O atendimento do transporte na região será reavaliado pela equipe técnica, visando a otimização dos recursos existentes, tanto no Jardim Helian quanto na Gleba do Pêssego", explicou.

A empresa municipal informou ainda que o processo, agora, "será construído em conjunto com a comunidade". Essa era uma das principais reclamações dos passageiros, que criticaram a falta de diálogo da administração.

"Deixamos claro que tinha sido uma decisão de cima para baixo. Mas agora vamos trabalhar juntos . Isso é uma conquista para a comunidade", pontuou Lima.

Mais de 30 linhas foram desativadas e três, alteradas

No primeiro semestre deste ano, segundo dados da SPTrans, 32 linhas foram desativadas, outras três, alteradas e 329 tiveram itinerários mudados, "motivadas por alterações no sistema viário, sentido de rua, melhorar a operação na linha".

Segundo a empresa municipal, as mudanças operacionais visam tornar o sistema de transporte "mais eficiente e dar fluidez aos ônibus, diminuindo a sobreposição de linhas e possibilitando diminuir o intervalo entre veículos, tornando as viagens dos passageiros mais confortáveis e rápidas".

Essa era também uma das justificativas dadas pela empresa para alterar o trajeto da linha 253F-10, medida que foi suspensa.

Em contrapartida, a SPTrans criou, neste ano, nove linhas, sendo que seis delas circulam todos os dias da semana.

A empresa afirmou ainda fazer um "monitoramento ininterruptamente das linhas" em todo o sistema de ônibus da cidade.


Compartilhe: