Diário de S. Paulo

12/08/2017 - 10:16

Xadrez vira 'disciplina' em escolas da capital

Sete mil crianças e adolescentes testam suas habilidades em torneio. Jogo ajuda no aprendizado e melhora o relacionamento dos alunos entre si e em casa, dizem especialistas. DIÁRIO acompanhou etapa da competição

Por: Jeniffer Mendonça
[email protected]

Foto: Nelson Coelho/Diário SP

As peças eram quase do tamanho das mãos do garotinho. Quem vê, não imagina que no ano passado ele ganhou um troféu quase da sua estatura. “O que eu mais quero é ganhar, mas se perder, não vou ficar triste, vou jogar de novo”, disse Ericky Nascimento, de 7 anos. Ele e mais sete mil alunos participam da etapa regional dos Jogos Estudantis de Xadrez, promovidos pela Secretaria Municipal de Educação.

O DIÁRIO acompanhou uma das rodadas da competição no CEU Quinta do Sol, na sexta-feira (11), que compreendeu 23 escolas da Zona Leste da cidade. Com uma camisa amarela estampando o nome da escola, Ana Julia Povoa, 12, está há sete anos no projeto, que acontece fora dos turnos das aulas. “Não falto em nenhum treino. Senti uma evolução grande. Em matemática eu melhorei muito, meu raciocínio é muito rápido.”

Para Bryan Dorado, 15, o jogo representa mais do que diferença no desempenho escolar. “Eu já sabia jogar na Bolívia, mas aqui aprendi mais e fiz amigos”, disse. A mãe, Neidy, 33, se emociona por ver outros jovens conterrâneos na competição. “Fico muito feliz por ver que ele representa a escola”.

Coordenadora do projeto pela Diretoria de Ensino da Penha, Sandra Magraner atua na formação de professores da rede que utilizam o xadrez como meio complementar dentro e fora da sala de aula. “É uma atividade polivalente que permite a progressão do conhecimento. Em matemática, por exemplo, é possível explorar as formas geométricas, os planos do tabuleiro, para além do jogo.”

As 1,2 mil equipes disputam neste mês. Em setembro, ocorre a etapa municipal. O Xadrez Escolar é uma atividade que acontece desde a década de 1990 na rede municipal e atende, hoje, 700 turmas em 261 unidades.

Atividade fortalece o intelecto e a convivência 

Os jogos de tabuleiro estimulam a atividade cerebral por meio da construção de estratégias que o desafio exige. Além de aprimorar a concentração e o raciocínio lógico, aplicar essas atividades na escola e dentro de casa promovem um aprendizado importante: a convivência, apontam especialistas.

"A partir desses jogos, as crianças aprendem a lidar entre si, com as frustrações quando perdem e a resolver conflitos", disse a neuropsicóloga Deborah Moss.

Resgatar essas brincadeiras, incluir atividades físicas três vezes por semana e inserir um tempo livre na rotina promovem um desenvolvimento saudável, segundo o pediatra Nelson Ejzenbaum.

"É muito importante os pais voltarem a brincar com os filhos e estarem com eles. Estimular o intelecto também é conversar, fazer passeios juntos, levar ao teatro."


Compartilhe: