Diário de S. Paulo

29/08/2017 - 17:25

As carinhas do seu celular

'Emoji: O Filme' apresenta o mundo colorido e invisível das expressões visuais utilizadas diariamente por nós na internet

Por: Giovanni Oliveira
[email protected]

A animação é talvez a forma de contar uma história que mais permite liberdade, criativa e visual, ao seu criador. Com ela, já conhecemos a vida de brinquedos e seus sentimentos, a luta contra o preconceito entre espécies de animais distintas, e até mesmo o que se passa em nossas mentes. Agora chegou a vez de descobrir o mundo secreto por trás daqueles rostos amarelos que nos acostumamos a usar em nossas mensagens de texto: os emojis.

Em "Emoji: O Filme", tomamos ciência de um grande mundo que cabe na palma da nossa mão: Textopolis, a cidade onde os emojis vivem. Lá, todos vivem pelo objetivo de serem utilizados por nós, humanos, em nossas mensagens do dia-a-dia. Cada um exerce uma função, ou melhor, expressão. Menos Gene, que nasceu com um bug e tem a habilidade de interpretar diversas reações.

Decidido a se tornar um emoji normal como todos os outros, Gene parte numa aventura pelos aplicativos do celular onde habita para tentar apresentar apenas uma expressão. Nessa jornada, ele faz alguns amigos e várias descobertas.

Com um visual colorido e divertido, o filme deverá agradar os pequenos ou aqueles que estão à procura de entretenimento rápido e leve. Porém todo o universo criado não apresenta muita profundidade, e se apoia a piadas previsíveis que despertam alguns risos, mas são facilmente esquecíveis.

Quem acredita que Hollywood vive uma fase de baixas inspirações, pode usar o longa como argumento para seus debates.


Compartilhe: