Diário de S. Paulo

15/07/2017 - 15:27

Doria tem muro de casa pichado contra privatizações

Protesto foi organizado pelo Levante Popular da Juventude. Estudante chegou a ser preso pela GCM

Por: Diário SP
[email protected]

Foto:

Uma manifestação contra o pacote de privatização da gestão João Doria (PSDB), uma das principais bandeiras do plano de governo do tucano, acabou com a prisão de um estudante, de 23 anos, suspeito de ter pichado o muro da casa do prefeito.

O ato, organizado pelo Levante Popular da Juventude, reuniu cerca de 200 pessoas. Em frente à casa do tucano, os jovens gritaram palavras de ordem e fizeram uma intervenção como se estivessem leiloando bens da cidade, como o estádio do Pacaembu.

No muro da casa de Doria, um manifestante teria pichado "SP não está à venda". Durante a ação, o estudante, apontado pela GCM (Guarda Civil Metropolitana) como suspeito de ter escrito a frase, foi detido.

Ao jornal "O Estado de S. Paulo", um inspetor de divisão da GCM, identificado como Tobias, disse que bandeiras foram abertas na hora que os manifestantes chegaram na casa de Doria. "Nós visualizamos o pessoal encostando na parede, mas foram encobertos pela bandeira."

O jovem foi levado ao 78 º DP (Jardins) e, depois, encaminhado ao 14º DP (Pinheiros). Depois de duas horas, foi liberado. Em sua página no Facebook, o prefeito regional Paulo Mathias disse que o estudante vai pagar a multa de R$ 5 mil, que faz parte de uma lei sancionada por Doria.

Natali Santiago, porta-voz do Levante Popular da Juventude, negou que o estudante apontado como suspeito seja o autor da pichação. "O ato pacifico já havia se encerrado e escolheram de forma aleatória um dos manifestantes para desviar a atenção de nosso protesto", disse.

REIVINDICAÇÕES/ Além de mostrarem insatisfação no plano de privatização do tucano, os manifestantes reclamaram da redução do passe livre, que aconteceu na semana passada.

A partir de 1º de agosto, os estudantes terão apenas quatro embarques, no período de duas horas. Antes, a Prefeitura oferecia oito passagens nos ônibus da SPTrans por 24 h.


Compartilhe: