Diário de S. Paulo

13/07/2017 - 18:43

Dinheiro de multas será usado para tapar buracos

Doria usará R$ 10 milhões do Fundo de Trânsito para fechar as crateras nas 10 prefeituras regionais mais afetadas pela falta ou redução do serviço

Por: Ana Paula Bimbati
[email protected]

Foto: /

O vice-prefeito e secretário das prefeituras regionais, Bruno Covas, anunciou, nesta quinta-feira (13), uma verba de R$ 10 milhões do FMDT (Fundo Municipal de Desenvolvimento de Trânsito) que será usada para tapar buracos em agosto.

O dinheiro será usado para atender todas as prefeituras regionais. Destas escolhidas, nove tiveram o serviço reduzido este ano e uma, a Vila Prudente, na Zona Leste, foi cortado.

"A Vila Prudente, no final de maio, teve que suspender os trabalhos de Tapa Buraco porque havia apenas uma equipe de trabalho (para toda a região). Isso mostra a falta de planejamento do orçamento", admitiu Covas.

Só neste ano, as 32 prefeituras regionais gastaram R$ 112 milhões, que estavam orçados para a operação, segundo a gestão João Doria (PSDB).

O vice-prefeito disse ainda que, desde o início do ano, a administração municipal já sabia que a verba prevista para a operação duraria apenas para o primeiro semestre.

Com o dinheiro, a Prefeitura vai aumentar de 12 mil para 20 mil toneladas por mês a quantidade de asfalto usada na capital.

O serviço começa amanhã e o primeiro alvo é a Avenida Sapopemba, na Vila Prudente, que deve ter os reparos concluídos em uma semana.

Essa é a primeira vez, segundo Covas, que a Prefeitura usa o dinheiro do FMDT para esse serviço. A decisão da gestão, acontece no mesmo momento em que o STJ (Superior Tribunal de Justiça) autoriza a administração a usar o dinheiro do fundo para pagar salários de funcionários da CET (Companhia de Engenharia de Tráfico).

Apesar do aporte emergencial, Covas afirmou que o serviço no próximo mês é "paliativo" e que o necessário é o recapeamento. "Conseguimos R$ 210 milhões para a ação de recapeamento, recursos que também são da CET já aprovados na última reunião do conselho."

PRODUÇÃO/ Dados obtidos pelo DIÁRIO via Lei de Acesso à Informação mostram que o número de buracos tapados, mês a mês, de 2013 para cá, vem diminuindo.

Em janeiro do ano passado, por exemplo, a Prefeitura tapou pouco mais de 18 mil crateras. No mesmo mês de 2017, a gestão Doria fechou quase 16 mil.

Comparando o mesmo período em 2016 e 2017 (de janeiro a abril), a diferença também existe. No ano passado, durante a gestão Fernando Haddad (PT), neste intervalo de tempo, foram fechados 72,4 mil buracos. Em 2017, foram 69,3 mil.


Compartilhe: