Diário de S. Paulo

15/07/2017 - 18:33

Uma ferida que não cicatriza nunca

Foto:

Reportagem da edição de hoje do DIÁRIO relembra os dez anos de uma das maiores tragédias aéreas da aviação brasileira, a queda do voo da TAM em Congonhas. Em 17 de julho de 2007, 199 pessoas morreram após o Airbus A320 se chocar com um prédio da companhia e explodir na sequência. Na edição de amanhã, serão publicados depoimentos com os familiares das vítimas.

Mesmo dez anos depois, a dor de quem perdeu alguém naquele desastre permanece viva. Se não bastasse a tristeza de não ter mais o marido, esposa, filho ou um amigo, a sensação de impunidade torna tudo ainda pior. A sentença que absolveu os acusados pelo Ministério Público, em duas instâncias (ainda cabe recurso no STF), comprova que esta ferida não deverá cicatrizar jamais.


Compartilhe: