Diário de S. Paulo

18/05/2017 - 21:48

Devagar que o andor é de barro

Foto:

O que o pensador latino Horácio e a atual delação da JBS têm em comum? Horácio cunhou a expressão "parturient montes, nascetur mus". Numa tradução livre, significa "a montanha pariu um rato". Aplica-se a algo pomposamente anunciado e que na realidade produz uma decepção, ou seja, resultado pífio diante da expectativa gerada. Foi o que aconteceu com o áudio entre Michel Temer e Joesley Batista. Esperava-se um delito preto no branco, algo bombástico. Em vez disso surgiu um áudio quase inaudível e nada cabalmente comprometedor. A não ser uma conversa nada republicana, claro. Temer pode sucumbir à indignação geral ou a outras provas se elas surgirem, claro, mas apenas pelo áudio vazado a situação é diferente do que se imaginava.


Compartilhe: