Diário de S. Paulo

19/04/2017 - 16:43

Aves de rapina são encontradas mortas em Viracopos

Dois gaviões e dois falcões que ajudavam no combate a acidentes aéreos foram encontrados esquartejados em área do aeroporto. Polícia investiga

Foto: Divulgação/Abefpar

Um caso curioso está intrigando a Polícia Civil de Campinas. Dois gaviões e dois falcões treinados para reforçar o combate a acidentes aéreos no Aeroporto Internacional de Viracopos foram encontrados mortos. As aves de rapina, usadas para espantar outros pássaros da região do aeroporto, foram esquartejadas com cortes de facão e cabeças decepadas, de acordo com o boletim de ocorrência. A responsabilidade pelas aves é de uma empresa terceirizada, que não foi identificada.

Leia mais:

PS do Hospital São Paulo deixa de atender 14 mil

Ao portal UOL, a assessoria do aeroporto explicou que o local onde as aves estavam não fica em área restrita do aeroporto. "Apesar de ser dentro do território do aeroporto, é uma área aberta, ou seja, não precisa passar por segurança para acessar este local". Ainda segundo o BO, um dos sócios da empresa responsável pelas aves constatou a morte ao ir alimentá-las. "Cada ave fica em um poleiro específico para a espécie, localizado em área fechada com portão e cadeado", contou ele à polícia. Esse tipo de ave costuma ser treinado para afugentar outros pássaros, como urubus, que podem causar acidentes aos aviões.

Segundo a assessoria do aeroporto, a ausência temporária delas em nenhuma hipótese aumenta o risco de acidentes, uma vez que elas são um cuidado a mais adotado. Mesmo assim, um funcionário informou que as aves mortas devem ser substituídas o mais rápido possível.

O caso está sendo investigado como crime ambiental. A polícia não informou oficialmente as linhas de apuração. Especula-se do envolvimento de ladrões de cargas ou traficantes, já que as aves poderiam atrapalhar os drones usados pelas quadrilhas.

No Brasil, além de Viracopos, a prática de usar aves de rapina já foi adotada nos aeroportos da Pampulha e Confins (Belo Horizonte), Galeão (Rio de Janeiro), Salgado Filho (Porto Alegre), Vitória, Joinville e Belém.


Compartilhe: